Quadro de Dario Fo, prêmio Nobel de Literatura, é doado para o Hospital Premier

img

 Em 1951, o diretor Vittorio de Sica lançava “Miracolo a Milano” referindo-se ao momento em que a especulação imobiliária em Milão, na Itália, estava no auge. O filme trata da luta travada por desempregados na busca para manter as casas que ocupavam.

Tal momento, vivido no cotidiano dos milaneses da época, foi captado pelo artista, dramaturgo, comediante e escritor Dario Fo, prêmio Nobel de Literatura de 1997, em um quadro doado em janeiro ao Hospital Premier pelo ativista, escritor e historiador ítalo-brasileiro José Luís del Roio.

“Dario Fo sempre se preocupou com os últimos, com os que sofrem. Então me pareceu muito com o Premier [que] luta contra o sofrimento, se dedica aos que sofrem, algo que o Dario fez a vida inteira”, disse Del Roio sobre os motivos que o fizeram doar o quadro ao Hospital.

A obra foi entregue pessoalmente a Del Roio por Fo e marcou a última vez em que ambos estiveram juntos.

Milagre em Milão” (título do filme em português) foi não só inspiração para o quadro de Dario Fo como também para a criação de um partido político, de nome homônimo, nos anos 2000, liderado por ele e pelo artista. “Ele cria um diálogo sobre Milão – de como foi e como chegamos a essa barbaridade”, diz Del Roio referindo-se à mudança ocorrida na cidade acarretada pela especulação imobiliária.

Ao receber o quadro das mãos do historiador, o superintendente do Hospital Premier Dr. Samir Salman diz-se emocionado com o presente. Discursando para um pequeno grupo de aproximadamente trinta pessoas reunidas em almoço no escritório Brooklin da OBORÉ, empresa de comunicação que historicamente atua com questões sindicais e de defesa dos direitos humanos, Salman ressaltou que tudo o que acontece no Premier é genuíno e verdadeiro e que isto é um reflexo dos amigos que o cercam.

Veja a obra:  

IMG 6118

Leia também:

Quem foi Dario Fo

Conheça José Luís del Roio 

Filme: Miracolo a Milano

cr grupomais