Prêmio Averroes

trofeu2

 

 

 

Prêmio Averroes


A pedido do Hospital Premier, o Prêmio Averroes foi concebido em 2008 pelo historiador ítalo-brasileiro José Luiz Del Roio, Senador da República Italiana, membro do Parlamento do Conselho da Europa em Strassburgo e membro do Parlamento da União Européia Ocidental em Paris. Mas ficou por conta do talento do artista plástico Jaime Prades a materialização de todos os conceitos e objetivos traçados para o troféu: tanto quanto  ressaltar o reconhecimento público de personalidades que consagraram suas vidas ao desenvolvimento das ciências, educação e das artes, o Prêmio Averroes, já agora na sua sétima edição anual, destina-se a iluminar a trajetória dos que têm sido pioneiros e compartilhadores em suas áreas de atuação direta mas que também se empenham pela Paz entre os povos e o convívio enriquecedor de todas as culturas, religiões e etnias.



 

 

Homenageados com o Prêmio Averroes

 

boff

 

Leonardo Boff - Teólogo, escritor e professor universitário, expoente da Teologia da Libertação no Brasil. Foi membro da Ordem dos Frades Menores (franciscanos). Ficou conhecido pela sua história de defesa das causas sociais. Atualmente dedica-se sobretudo às questões ambientais. Prêmio Averroes 2014

 

siqueira

 

José Eduardo de Siqueira - Doutor em Medicina, Professor de Clínica Médica e Bioética da Universidade Estadual de Londrina (UEL), integrante do board da International Association of Bhioethics. Foi presidente da Sociedade Brasileira de Bioética (SBB) no período 2005-2007 e atua como membro da Câmara Técnica sobre Terminalidade da Vida e Cuidados Paliativos do Conselho Federal de Medicina (CFM). Prêmio Averroes 2013.

 

chaparro

 

Manuel Carlos Chaparro - Doutor em Ciências da Comunicação e Livre Docente da Escola de Comunicações e Artes da USP. Atua no Jornalismo desde 1957 sendo quatro vezes premiado com o Esso de Jornalismo. Foi Presidente da INTERCOM - Sociedade Brasileira de Estudos Interdisciplinares da Comunicação, principal sociedade científica brasileira na área da Comunicação Social, e é membro de seu Conselho Consultivo. Prêmio Averroes 2012.

 

eclea

 

Ecléa Bosi - Pesquisadora, escritora e poetisa. Professora emérita do Instituto de Psicologia da USP e docente do Departamento de Psicologia Social e do Trabalho. Fundadora, em 1994, da Universidade Aberta à Terceira Idade (UATI) – programa de extensão universitária da USP cujo objetivo é possibilitar ao idoso aprofundar conhecimentos em alguma área de seu interesse e, ao mesmo tempo, trocar informações e experiências com os jovens. Prêmio Averroes 2011. a confirmar

 

hildebrando

 

Luiz Hildebrando Pereira da Silva -Médico, pesquisador e professor, diretor do Instituto de Pesquisa em Patologias Tropicais de Rondônia, onde desenvolve pesquisas em Imunologia e Epidemiologia da malária. Foi eleito Professor Emérito da Universidade Federal de Rondônia em 2002 e, em 2008, Professor Emérito da Universidade de São Paulo. Laureado com o Prêmio Averroes em 2010. 

 

ausonia

 

Ausonia Favorido Donato - Dedica-se ao trabalho na área de educação formal e na área de saúde pública desde 1969. É Diretora Pedagógica do Colégio Equipe, em São Paulo, e pesquisadora do Núcleo de Formação e Desenvolvimento Profissional do Instituto de Saúde da Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo. Foi a ganhadora do Troféu Averroes em 2009. 

 

marco

 

Marco Túllio de Assis Figueiredo - Doutor em Patologia, organizador e ex-professor das disciplinas eletivas de Cuidados Paliativos e de Tanatologia da Unifesp e Professor Titular do Curso de Tanatologia e Cuidados Paliativos da Faculdade de Medicina de Itajubá MG). Membro fundador da International Association for Hospice and Palliative Care (Houston-USA) e membro de seu Conselho Diretor por 3 mandatos consecutivos como representante do Brasil (1997). Foi premiado com o Troféu Averroes, em 2008.

 

AVERROES, UM HOMEM DO NOSSO TEMPO
por José Luiz Del Roio, curador do Prêmio Averroes

Estranho personagem este islâmico ibérico chamado de Abûl – Walîd  Muhammad Ibn Rushd, conhecido pelos judeus como Ben Rushd e pelo ocidentais como Averroes. O seu destino desenrolou-se em Al-Andalus (1126-1198), entre Sevilha, Cordoba e Marrakech. Importante lembrar que Al-Andalus do século XII representou, naquele momento, o ponto mais alto da cultura e da tolerância no ocidente. Averroes foi o filho mais representativo dos aspectos positivos da época. Ele viveu o apogeu e declínio desta cultura e pagou o tributo deste declive. Dirigente político e religioso, Averroes atuou como jurista, médico e filósofo. Curioso e estudioso sem fronteiras, tentou entender os fenômenos naturais e conhecer os espaços do planeta e do firmamento. Seu trabalho maior foi redescobrir e divulgar o pensamento filosófico dos antigos gregos, principalmente Aristóteles. Admirado e ao mesmo tempo colocado no ostracismo no mundo islâmico,  Averroes influenciou profundamente o judaismo, mas poucos o reconheceram tal fato. Teve inúmeros seguidores através dos séculos no ocidente cristão, mas a maioria deles chegaram a conclusões diversas - quando não opostas - sobre o seu pensamento. Mesmo abstraindo-se da complexidade de suas obras e de seu pensamento, a figura de Averroes representou o viver com ética, a sede do saber, a razão como método científico,  a tolerância  com outras culturas e a bondade em relação ao ser humano. Nove séculos depois de sua morte física, seu nome recusa o esquecimento e renasce mais uma vez, já que a base de suas indagações filosóficas e políticas ainda permanecem atuais. E é isso que faz de Averroes um contemporâneo, um homem do nosso tempo.

 

TROFÉU AVERROES
por Jaime Prades, artista plástico

Inspirado nos padrões florais em relevo das paredes da mesquita do Alhambra de Córdoba, criei os meus grafismos florais. Dessa forma, evitei apenas transportar e copiar os elementos da mesquita. Reinterpretando-os,  dei modernidade a eles e originalidade à peça.  A mesquita de Córdoba é o maior feito da cultura árabe na Espanha e símbolo do seu mais evoluído período. É o legado que algumas gerações, incluíndo a de Averroes, deixaram para a humanidade. A peça inclui todas as maneiras de nomear Averroes. Seu nome no alfabeto latino, em árabe e como ficou mais conhecido. Oriente e ocidente juntos simbolicamente na expressão da letra - que é a manifestação do intelecto em linguagem. Averroes é a ponte por onde transita a tradição Grega, que traz em si as tradições egípcias e orientais. O arco entre as duas partes é a presença da cultura árabe simbolizada pela curva. O desenho do arco foi copiado do arco interno de sustentação das colunas da mesquita. A oxidação da peça é mais do que um mero recurso estético. Ela evita o brilho fácil e nos leva a procurar o valor além da matéria. A dramaticidade do material evoca o tempo e a fragilidade da condição humana.

Grupo Mais